Definido por Truman Capote como “um livro que mostra o que é escrever de verdade”, "Uma mulher perdida" retrata o declínio do espírito do pioneiro americano — “o fim de uma era”.

Livremente inspirado em eventos da vida de Silas Garber, fundador de Red Cloud, Nebraska, e terceiro governador do estado, e de sua esposa, Lyra, o romance narra a história de Marian Forrester e seu marido, o Capitão Daniel Forrester, magnata da construção ferroviária. O casal mora em Sweet Water, cidadezinha fictícia no oeste americano, onde a vida gira em torno da ferrovia transcontinental. A narrativa é escrita da perspectiva de Niel Herbert, um jovem que adora a sra. Forrester e que a vê como a personificação da feminilidade.

Com o tempo, porém, Niel descobre o que concebe como falhas na imagem perfeita que tem de Marian, rachaduras em sua figura familiar exemplar.  A partir daí, passa a questionar se a admira pelo que ela de fato é ou se o que adora é o retrato dela que ele próprio criou para si como representação de um passado idealizado. Ao colocar essa dúvida nos olhos e na boca de um personagem jovem, em formação, Cather faz uma crítica ao mito da cultura perdida e do passado glorioso e um alerta bastante atual dos perigos do reacionarismo. Portanto, embora o romance tenha sido considerado pelos críticos o “Madame Bovary americano”, a heroína de Cather faz bem menos concessões do que a de Flaubert ou mesmo a de Tolstói.

"Uma mulher perdida" é o livro no 1 da PONTOEDITA.

 


 

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Título: Uma mulher perdida

Autor: Willa Cather

TradutorMauricio Tamboni

ISBN 978-65-80232-00-0

Idioma: português 

Dimensão: 14 x 21 cm 

Edição: 1ª

Ano de publicação: 2019

Número de páginas: 224

 


 

ABERTURA DO LIVRO "UMA MULHER PERDIDA" | TARCILA TANHà(Canal VRÁ TATA)

 

 


 

Uma mulher perdida - Willa Cather

R$64,80
Uma mulher perdida - Willa Cather R$64,80
Entregas para o CEP:

Meios de envio

Definido por Truman Capote como “um livro que mostra o que é escrever de verdade”, "Uma mulher perdida" retrata o declínio do espírito do pioneiro americano — “o fim de uma era”.

Livremente inspirado em eventos da vida de Silas Garber, fundador de Red Cloud, Nebraska, e terceiro governador do estado, e de sua esposa, Lyra, o romance narra a história de Marian Forrester e seu marido, o Capitão Daniel Forrester, magnata da construção ferroviária. O casal mora em Sweet Water, cidadezinha fictícia no oeste americano, onde a vida gira em torno da ferrovia transcontinental. A narrativa é escrita da perspectiva de Niel Herbert, um jovem que adora a sra. Forrester e que a vê como a personificação da feminilidade.

Com o tempo, porém, Niel descobre o que concebe como falhas na imagem perfeita que tem de Marian, rachaduras em sua figura familiar exemplar.  A partir daí, passa a questionar se a admira pelo que ela de fato é ou se o que adora é o retrato dela que ele próprio criou para si como representação de um passado idealizado. Ao colocar essa dúvida nos olhos e na boca de um personagem jovem, em formação, Cather faz uma crítica ao mito da cultura perdida e do passado glorioso e um alerta bastante atual dos perigos do reacionarismo. Portanto, embora o romance tenha sido considerado pelos críticos o “Madame Bovary americano”, a heroína de Cather faz bem menos concessões do que a de Flaubert ou mesmo a de Tolstói.

"Uma mulher perdida" é o livro no 1 da PONTOEDITA.

 


 

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Título: Uma mulher perdida

Autor: Willa Cather

TradutorMauricio Tamboni

ISBN 978-65-80232-00-0

Idioma: português 

Dimensão: 14 x 21 cm 

Edição: 1ª

Ano de publicação: 2019

Número de páginas: 224

 


 

ABERTURA DO LIVRO "UMA MULHER PERDIDA" | TARCILA TANHà(Canal VRÁ TATA)