Sjón

 

Sjón

Sjón (Reykjavík,1962) é um celebrado poeta, romancista, roteirista e compositor islandês. Começou a participar da cena literária e musical underground e punk islandesa no final da década de 1970. Foi um dos fundadores do grupo Medúsa, responsável por introduzir e difundir as ideias surrealistas na Islândia, e membro honorário da banda Sugarcubes. Lançou seu primeiro livro de poesia em 1978 e tornou-se um dos principais parceiros de Björk.

Ganhou o Nordic Council’s Literary Prize e o Icelandic Literary Prize, e foi indicado ao Oscar e ao Globo de Ouro pelas letras do filme Dançando no escuro (Lars von Trier, 2000).

Em 2016, Sjón tornou-se o terceiro escritor escolhido para contribuir com o projeto artístico Future Library.

Entre seus trabalhos mais recentes como roteirista destacam-se os premiados Lamb (2021) e O homem do norte (2022, em colaboração com Robert Eggers).

Mánasteinn, o menino que nunca existiu, com tradução direta do islandês de Pedro Monfort, é o livro nº 8 da PONTOEDITA.